sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O Supremo Decidiu sobre o Impeachment...

Não entendo como funciona esses julgamentos no Supremo Tribunal...

A constituição é a mesma, mas tem juiz que entende que é de um jeito, e outros entendem que é de outro.

Alguém deve estar errado!

Mas para não complicar tem uma votação e o entendimento da maioria é que fica valendo!

E nem precisam convencer os outros que defendiam a tese perdedora...

Se daqui a 20 anos passarmos pelo mesmo processo e os juízes forem outros, o entendimento pode mudar mesmo que a lei seja a mesma!

Na minha mente exata, para entendimento de leis só deveria servir o consenso! Todos deveriam concordar da mesma forma, afinal alguém está interpretando errado!!

Constituição não deveria ser Bíblia, que cada um interpreta de um jeito e tudo bem....

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Piadinhas Científicas

Vou reunir neste post algumas piadinhas que utilizam conceitos científicos. Vocês já devem ter visto algumas delas na internet.














Você está "provavelmente" aqui!




Mano, mitose começa em 5 minutos...
Não acredito que você ainda não condensou.


Argônio entra no bar...
- Saia! Nós não permitimos gases nobres aqui!
...Argônio não reage







quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Livro: De Primatas a Astronautas

Leonard Mlodinow novamente encanta com esse livro sobre a história da ciência. Você já deve ter visto e lido vários livros sobre esse assunto. Eu pelo menos já li bastante. Sempre tem um livro intitulado "A história da ciência" na livraria. Porque esse é diferente?

Primeiro porque Leonard Mlodinow já dá um peso maior para o título. Ele tem uma forma muito boa de divulgar ciência e consegue fazer uma boa relação entre o que foi "descoberto" e o que foi "inventado" pelos cientistas.

Depois a forma que ele escolheu para contar essa história, separando em 3 partes: O início das ciências com os pensadores gregos; o desenvolvimento acelerado de diversas áreas entre os séculos XVII e XIX, e a atomística no Século XX. Esse livro pode ser o Básico I sobre história da ciência para quem estiver interessado no assunto.

Obviamente não é possível para nenhum livro percorrer todas as áreas da ciência. Mas o que percebi neste é que o autor tenta mostrar que o desenvolvimento da ciência não é uma ato isolado de algumas pessoas. Necessita de um ambiente favorável, troca de conhecimento entre as pessoas, uma boa dose de determinação e trabalho árduo e ainda, em alguns casos, um pouco de sorte. Por isso se ateve mais a exemplos mais famosos que representavam bem estes aspectos, e o leitor já terá uma ideia de como esse desenvolvimento acontece.

Estava faltando uma pessoa que divulgasse ciência com essa qualidade no mercado editorial. Tomara que ele continue sendo constante nas suas publicações.


Link da Saraiva: Livro - eBook

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

A Foto mais Triste de uma Vítima da Guerra Síria

Estou profundamente chocado com a foto do menino morto na praia da Turquia. Não lembro de uma foto ter me passado uma sensação tão triste. É impressionante.

Estou também com vergonha de pertencer a mesma raça que produziu essa tragédia. O que prova que essa nossa racionalidade não serve para nada se não conseguimos evitar esse tipo de coisa. Nos colocamos no mesmo nível de tantos outros animais irracionais que habitam esse planeta. Ou abaixo desse nível, porque animais irracionais não fazem guerras religiosas que provoquem a morte dos seus iguais.

Agora tragédias e mortes acontecem todo dia. Temos fotos e filmes na TV diariamente de assassinatos e acidentes diversos. Pessoas morrem de fome de falta de saneamento em cidades brasileiras e isso tudo é documentado. Porque essa foto choca tanto, tanta gente? O que é diferente nesse caso?

Eu tentei entender e relacionei alguns motivos que, para mim, fizeram essa foto muito mais forte do que o "normal", que já nos adormece os sentimentos constantemente.

É uma foto de um menino de 3 anos com camisa vermelha, calça azul e tênis. Como tantos outros que vemos nas nossas casas brincando e fazendo bagunça o dia inteiro. Crianças dessa idade só transmitem bondade e alegria ao seu redor. Não possuem ainda noção de como o mundo é problemático e só querem brincar. Vendo aquela criança na praia imediatamente vem a sensação de vazio, daquela alegria que se cala. Podia ser qualquer criança. Está do outro lado do mundo mas poderia ser dentro da nossa casa.

Quem é pai (meu caso) ou mãe deve estar mais chocado. Já conviveu com uma criança dessa e imediatamente imagina o quanto seria triste se fosse com a gente. Se coloca no lugar daquele pai e não imagina como uma vida pode prosseguir a partir daí. Perder a família por conta de uma guerra religiosa? Como assim? A história da foto a deixa muito mais forte. 

O que leva um pai a arriscar a vida de uma criança tão pequena no meio do mar a noite? 
É a pergunta que fazemos na sequencia para tentar entender a causa. E rapidamente entendemos que um pai faria tudo para proteger sua família. Se existe uma guerra que ameaça a segurança dos seus ele faria qualquer coisa para protegê-los. E novamente nos colocamos no lugar dele. Se fosse a nossa família, arriscaríamos tudo desse jeito? Muito provavelmente sim. Não existe vida se sua família corre perigo diário de morrer na guerra. Então vale qualquer coisa para deixá-los em segurança. Nesse caso só o pai sobreviveu. Os dois filhos e a esposa morreram afogados na travessia. Agora ele diz que não liga mais para a guerra e vai voltar para sua cidade natal. Totalmente compreensível para quem perdeu tudo.

Porque os países europeus não facilitam a entrada desses refugiados? 
Porque esses povos fogem de suas terras numa quantidade que é impossível de ser absorvida pelos países em tão pouco tempo. Além de que existe uma preocupação de que terroristas estejam infiltrados entre os refugiados para entrar nos países europeus e promoverem ataques depois. Baseado nos histórico dos últimos anos essa preocupação é legítima. Essa solução não é fácil. O quanto os países podem promover ajuda aos outros sem prejudicar o seu próprio povo.

O que levou aquele menino na praia foi uma guerra religiosa no seu país. E guerras religiosas são uma das coisas mais inúteis já criadas pelo ser humano "racional". E no final dá a sensação de que o menino morreu por nada. Por que uma povo que acredita numa religião está matando outro povo que acredita em outra religião. 


Na minha opinião, a causa raiz disso tudo é que o ser humano não conseguiu assumir a sua racionalidade ainda. Ainda existe muita gente, muita gente mesmo, acreditando em divindades da mesma forma que os pré históricos acreditavam quando não entendiam como o fogo ou a chuva apareciam. As divindades foram "modernizadas" mas a base do pensamento é a mesma. 

Já somos capazes de enviar naves até o final do Sistema Solar mas ainda creditamos em seres divinos mágicos que controlam nossas vidas. Acreditar em divindades é inútil. Junto com a divindade vem anexa uma religião. E uma religião sempre parte do princípio de que ela é a única correta, quando os outros sempre estão errados.

Toda religião é inútil. Política quando vira religião é inútil. Torcida de futebol quando vira religião é inútil. Religião só serve para causar discórdia e dividir os povos. A divisão dos povos pelas suas idéias é mais forte dos que a divisão geográfica dos países, mais duradoura, e mais agressiva. 

Em vez de assumirmos que a nossa convivência só depende de nós, ficamos nos rotulando e nos dividindo de acordo com as "leis divinas" de cada povo. Ainda não entendemos, ou nos negamos a entender, que essa leis divinas foram criadas pelos homens para favorecer alguns.

E essa foto fica para mim como uma representação de como somos uma raça irracional e pré-histórica ainda. 


Abaixo eu publico a foto, é muito forte... Já aviso. Não tem sangue, não tem nada de horror. É impressionante como uma foto pode te passar tanta coisa....





















segunda-feira, 20 de julho de 2015

Livro: O Capelão do Diabo - Richard Dawkins

Qualquer um que se interesse por ciência tem em Richard Dawkins um dos autores de leitura obrigatória. Esse livro não é diferente.

Apesar do título meio supersticioso, que sem querer pode afastar um eventual comprador de ocasião, ele é uma boa ferramenta de divulgação científica. E ainda considero os 3 primeiros capítulos de uma clareza primorosa. 
Principalmente no detalhamento da Teoria da Evolução. 

Vale muito a leitura do texto produzido logo após o ataque as Torres Gêmeas em 11 de setembro de 2011, no final do 3º Capítulo chamado "A Mente Infectada".

Também são questionados a quantidade de termos científicos mal empregados por supersticiosos e por defensores das pseudociências. O mesmo que Carl Sagan já dizia, mas com uma linguagem mais ácido própria de Richard Dawkins.

Depois uma série de resenhas de livros e homenagens a outros autores e cientistas deixa o livro menos interessante se você não conhece os homenageados. Mas vale como conhecimento geral das pessoas que influenciaram o autor. 

Se se interessarem seguem alguns links que encontrei:
Saraiva: e-book
Livraria da Travessa: e-book
Livraria Cultura: e-book

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Livro: Pense como um Freak

Este não é um livro que se propõe como uma divulgação cientifica. No entanto ele apresenta alguns questionamentos que fazem parte de uma forma de pensar que eu considero bastante importante. É a forma de pensamento cético que na minha opinião deveria ser necessária como padrão na nossa sociedade.

As opiniões e conclusões dos autores não podem ser consideradas como verdades absolutas, isso iria de encontro ao que eles mesmo estão propondo. Mas a maior contribuição dese livro é deixar claro que existem outras perguntas a serem feitas sobre um mesmo problema que podem levar a respostas diferentes.

Para isso o leitor é desafiado a pensar de uma maneira cética sobre vários assuntos que já são convencionalmente aceitos como verdades absolutas na sociedade. Os autores apresentam vários casos onde uma análise simples de dados não dão sustentação a essas "verdades". Por exemplo: Os vinhos mais caros são sempre melhores? ou A propaganda em massa na TV ajuda a vender produtos de uma determinada marca?

Outro ponto que marca esse livro é como o pensamento econômico pode ajudar a solucionar problemas. Ao mesmo tempo que ignorar esse tipo de pensamento pode levar a decisões muito erradas. Outro exemplo: Se quiser acabar com infestação de cobras em uma cidade vale a pena instituir uma recompensa para cada cobra morta?

Essas são algumas perguntas para ir pensando, mas existem muitas outras. Lendo o livro você vai entender como utilizar os fatos para encontrar as respostas corretas. E vai poder guardar esse conhecimento para poder aplicá-lo em qualquer outra área. 

Vale a recomendação. 
Autores: Steven Levitt e Stephen Dubner


Seguem alguns links se tiverem interessados:
Livraria Saraiva: Livro - eBook
Submarino: Livro 
Livraria Cultura: Livro - eBook

quarta-feira, 17 de junho de 2015

A Lua me ajudando com a Insônia

Noite de insônia.

Uma das coisas que faço para passar o tempo quando tenho insônia é ir para a varanda do meu apartamento e ficar olhando a cidade tomando uma dose de whisky.

Hoje estava num dessas noites insones e fui seguir o ritual. Era aproximadamente 1:00 da manhã. 

Após alguns minutos eu percebi a Lua nascendo no leste. Quase cheia. Imponente. Perfeita!

Como estava com o copo cheio ainda, deu tempo de lembrar que na noite anterior a Lua já estava no céu antes desse horário.

Óbvio - pensei. Ela está girando ao redor da Terra. Então ela vai realmente mudar de lugar significativamente entre um dia e outro.

Essa minha resposta mental automaticamente induziu a duas outras questões:
- Para que lado a Lua gira ao redor da Terra;
- Quanto tempo demora para a Lua dar a volta no Planeta?

Resposta fácil dando uma olhada no Google, mas será que não dava para concluir isso só com a observação?

Bom, vamos tentar...

Considerando que sabemos que a Terra gira no sentido Leste, se a Lua girasse no sentido oposto nós veríamos a Lua cada dia mais para o Oeste. E o que vemos é o contrário. Cada dia a Lua está mais para Leste no mesmo horário. É fácil de ver isso ao perceber que a Lua demora sempre um pouco mais para nascer. Sendo assim temos que concluir que ela gira ao redor da Terra no mesmo sentido.

Quanto ao tempo para dar a volta na Terra, provavelmente conhecendo o atraso diário da Lua para despontar no horizonte podemos calcular quantos dias demoraria para ela nascer no mesmo horário. Isso representaria uma volta completa, correto. Bom... hoje ela nasceu as 01:36 e ontem ela nasceu em torno de 00:35. Mais ou menos uma hora de atraso. Portanto a volta na Terra deve demorar em torno de 24 dias.

Agora que já fiz o cálculo mental vamos ao Google conferir... Achei uma excelente explicação rápida nesse link: http://professorcanto.com.br/boletins_cn/038.pdf

Resposta: A Lua realmente gira no mesmo sentido da terra e completa a volta em 27,3 dias.

Errei só em 13%, o que é excelente já que foi baseado em somente dois dias de observação e regado a whisky numa noite de insônia!


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Visita ao Instituto Butantã

Aqui vai uma dica de passeio científico de férias para quem está em São Paulo. Instituto Butantan sempre foi famoso pelas suas pesquisas no desenvolvimento de vacinas antiofídicas. Mas eles também possuem uma estrutura muito boa para visitação e aprendizado.

Hoje fui conhecer o Instituto, só a parte de visitação do público geral. São 3 Museus e um Serpentário que estão dispostos dentro de uma área muito agradável para passear com a família. Primeiro o Museu Biológico conta com diversas espécies de serpentes, rãs, sapos etc... Todos os animais em espaços criados para copiar seu habitat natural. Era visível que estes animais estavam muito bem tratados.

Depois fui visitar o Museu Histórico que conta a história do próprio Instituto, expondo máquinas antigas e dando uma ideia de como os cientistas da época faziam milagres mesmo!!!

E por fim fui no Museu de Microbiologia, foi o que as crianças mais gostaram porque tem uma parte bastante interativa, e existem vários microscópios disponíveis para visualização. Quando eles viram o quanto de animais microscópios tem uma gota de água ficaram impressionados!

Antes de ir embora passamos no Serpentário, mas com o calor que tava as cobras estavam todas escondidas embaixo das pedras. Mas vimos tantas obras no Museu Biológico que nem ligamos muito.

Uma coisa que chama muito a atenção é como na Natureza os animais conseguem se camuflar facilmente. Eles até possuem algumas cobras albinas lá que não seguem essa regra, mas estão explicando que elas foram criadas em cativeiro através de cruzamento de espécies específicas, o que é uma atividade ilegal no Brasil.

Segue o link do Instituto Butantan. Eles possuem uma programação de férias bem interessante e no site tem maiores detalhes. 


Encontre a Jibóia (Fácil)





Encontre a Cobra-Cipó (Médio)





Encontre a Jararaca-da-Seca (Difícil)





Encontre o Bicho-Pau (Impossível)





E agora um pequeno Quizz. Quem sabe dizer que equipamento comum de laboratório é esse? Esse da foto era utilizado pelos pesquisadores do Instituto Butantan em 1940!



quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Ataques ao Charlie Hebdo: Como assim "Mas"?

Semana passada 12 pessoas morreram dentro da redação do jornal francês Charlie Hebdo por um ataque terrorista. Ao sair os assassinos gritaram que "O profeta foi vingado". Essa notícia tomou conta dos noticiários do mundo todo e não achava que tinha mais nada a comentar a respeito.

Até que comecei a ver os comentários de vários pessoas, amigos inclusive, que em resumo queriam dizer o seguinte: "Eu sou contra atos de terrorismo, mas o Charlie Hebdo não deveria ter feito charges tão agressivas."

No início achei que esse tipo de pensamento estava na flor da emoção e logo a razão tomaria a frente e as pessoas cairiam em si do quão perigoso esse pensamento. Mas não, hoje faz uma semana dos ataques e ainda vejo gente lamentando porque o jornal agiu com tanta irresponsabilidade!

Então....

Para começar... Eu ou totalmente contra ataques terrorista, assassinatos em geral. Sem "mas"... Essa frase, assim como o pensamento, para mim é isolada de qualquer condição. Não tem nenhum "mas", não deve ter nenhum "mas". 

Se você admite ou leva em consideração algum "mas" então você deve levar em considerações diversos outros "mas" em diversas outras situações. Por exemplo: "Sou totalmente contra a briga de torcidas MAS é difícil aguentar provocação quando o seu time está sendo rebaixado depois de uma goleada do principal rival." Outro exemplo: "Sou totalmente contra o estupro MAS a ela tinha que usar roupas tão provocantes?".

Se você é contra alguma coisa mas permite um "mas", no fundo você não é totalmente contra. 

Para mim isso é errado e o risco desse pensamento precisa ser alertado. O risco de acabar transferindo a culpa do crime para a vítima e transformar os assassinos em vítimas da sociedade.

Os jornalista morreram porque faziam caricaturas. E eles devem poder fazer as caricaturas que quiserem, assim como eu posso e você pode também. Religiosos podem dizer que ateus vão para o inferno e passar a eternidade em castigo. Isso é bem ofensivo para ateus, não é? Mas eles podem dizer oque quiserem. Isso é a base de um Estado livre e democrático. 

Se nós perdermos esse direito, ou deixar que nos tirem isso, já é um primeiro passo para uma sociedade totalitária, onde alguns vão dizer o que é certo ou errado para nós lermos, assistirmos ou aprendermos.

Não devemos tolerar nem aceitar ideologias totalitárias que pensam que podem dizer o que é certo ou errado baseado na cultura deles. Se para eles é correto matar porque ficaram ofendidos com desenhos, ou qualquer outra forma de expressão, então essa ideologia não é para mim e acho isso muito, mas muito errado. Sem nenhum MAS.....