domingo, 10 de novembro de 2013

Debate entre Deepak Chopra e Richard Dawkins

Um excelente debate ocorreu dia 09/11/13 promovido pelo site ciudadedelasideas.com entre Deepak Chopra e Richard Dawkins. Infelizmente ainda não tem legendas em português, mas assim que encontrar um link eu atualizo o post.

Deepak Chopra tem uma visão mística do mundo. Seus livros falam do relacionamento entre física quântica e religião, uma falácia que é fácil de fazer por ser um tema muito complexo. Richard Dawkins representa o extremo oposto. A ciência como uma ferramenta para entender o universo. Sem espiritualidade nenhuma envolvida.

Fica claro como Deepak adora a palavra "quantum". Usa para tudo. E Dawkins fica rebatendo ele sobre o mal uso do termo. Na minha opinião, o Deepak viaja tanto falando quanto nos seus textos. Sai do tema, junta assuntos nada a ver e usa palavras de física no meio de contextos totalmente errados. Dawkins em alguns momentos fica bem irritado!!! 

Em resumo, Deepak tem respostas para tudo, mesmo usando termos nada a ver para fazer metáforas impossíveis. Já Dawkins não tem medo de dizer que a ciência ainda não tem todas as respostas, mas quando elas vierem, serão bem embasadas cientificamente, e através de muito trabalho.



Só queria reproduzir aqui o último argumento de Richard Dawkins quando ele responde a questão sobre religião. Se ela é boa ou má para a humanidade:

"A questão não é sobre se um indivíduo deve ou não ser religioso ou bom ou mal. A questão é sobre a religião em si mesma. Eu penso que existem aspectos na religião que é ruim por si mesma. Eu penso que a fé cega, acreditar em coisas sem evidência, pode levar a praticar coisas ruins porque a religião, sua fé, dizem para você fazer. Muita pessoas que acreditavam que estavam fazendo o que era certo, fizeram várias atrocidades porque acreditavam que estavam fazendo pelo seu Deus. Portanto a fé, a fé cega, pode produzir estes maus efeitos.

Quanto a mim quanto cientista, eu costumo dizer que o que me incomoda mais na religião é que ela nos ensina a se satisfazer sem entender. Ensina a se satisfazer com pseudo explicações que na verdade não são explicações nenhuma. Coisas que soam bem como explicação mas na verdade não são. Apelam para a emoção mas de fato não explicam nada.

Eu penso que a religião nesse sentido pode ser inimiga da ciência, inimiga da verdade. Mas esta noite eu estava refletindo mais sobre o que é realmente o inimigo da verdade, o inimigo da ciência... que é o obscurantismo intencional, seja vindo da religião ou não."