quinta-feira, 31 de maio de 2012

Khan Academy em Português!!!!

Bom, para quem ainda não conhece, a Khan Academy é uma organização que produz vídeos de aulas sobre algum assunto específicos. Em geral os vídeos duram pouco, entre 10 a 15 minutos,e apesar de usar somente uma lousa digital, as aulas são muito bem feitas. Não por acaso a Apple já disponibiliza essas aulas a todos os usuários de iPhone e iPads há muito tempo.

Atualmente a Khan Academy já conta com mais de 3200 vídeos de aulas e, segundo a missão da organização, eles vão sempre manter o acesso livre a todos os usuários.

Mas como sempre, temos um problema com a língua. Todos os vídeos são produzidos em inglês. Isso limitava um pouco o acesso ao nosso público. Até que fiquei sabendo há pouco tempo que a Fundação Lemann, em uma excelente iniciativa, está traduzindo os vídeos para português e publicando na sua página.

Vale muito a pena dar uma conferida. Tem vídeos sobre diversas áreas da ciência e todos com uma tradução muito boa. E isso é raro, porque atualmente é muito fácil conseguir informação na internet sobre qualquer assunto, mas a maior parte é em inglês.

Segue o link da página da Khan Academy no Brasil. E também coloquei um vídeo deles sobre a gravidade em astronautas, para vocês terem uma idéia de como são essas aulas.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Membros Robóticos estão chegando!!!

Já existem uma série de pesquisas, com resultados promissores, sobre a utilização de membros robóticos cujos movimentos são controlados diretamente pelo cérebro. Isso realmente dá uma sensação de que o futuro está chegando!!!

Aqui tem um vídeo da BBC Brasil que encontrei no site Pop Sci sobre esse tema:


Abaixo tem uma matéria da Globo News com o pesquisador brasileiro Dr. Miguel Nicolelis, que pretende fazer um paraplégico dar o chute inicial na Copa de 2014. E pelo que ele fala, isso será plenamente possível.

Será que a nossa geração vai chegar a ver uma mão robótica como a do Luke Skywalker em Star Wars?

domingo, 27 de maio de 2012

Puzzle: Onde Está o Rosto Perdido?

Depois que você entende fica bobo. Mas é legal tentar entender o que acontece....

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Alimentos que "passaram" a fazer bem à saúde!

Como sempre acontece, novas pesquisas concluiram que alguns dos mais temidos alimentos não fazem mal à saúde como se pensava. Agora descobriram que, na verdade, a manteiga, o café, o ovo, a carne de porco e o chocolate fazem bem à saúde!

Mas se é assim as pesquisas anteriores estavam erradas?

É muito comum na ciência uma pesquisa contradizer a outra. Aliás isso faz parte do método científico. Para uma teoria ser considerado correto na ciência ela precisa ser testada por outros pesquisadores e estes deverão ter os mesmos resultados. Na ciência, uma única pesquisa não consegue fechar o assunto em torno de sua conclusão. 

E aí vai minha crítica a forma como os fatos são noticiados. Faz pouco tempo o mundo inteiro ficou sabendo que conseguiram encontrar uma partícula que viajava em uma velocidade superior a da luz. Depois identificaram que, na verdade, era um erro de cálculo causado por um cabo mal conectado, só que essa notícia não teve o mesmo holofote no noticiário!

Esse caso não foge a essa regra. Apesar de achar muito bom que chocolate faça bem a saúde, preciso ser coerente comigo mesmo e entender que isso é só mais uma pesquisa.

Particularmente acho que o nosso conhecimento científico ainda não consegue entender suficientemente os processo biológicos. Não só para o caso dos alimentos, mas em todos os aspectos. Fico muito com pé atrás quando afirmam que tal produto causa cancer, ou que tal alimento entope as suas arterias. Se entendêssemos mesmo como esses mecanismos funcionam já teríamos resolvidos esses problemas, mas isso ainda não acontece.

Na minha opinião cada indivíduo reage de forma diferente aos mesmos alimentos e produtos. E essa reação individual é muito mais relevante do que o efeito do produto em si. Ainda acho que a ciência encontrará um padrão definitivo para isso, mas a publicação de trabalho tão antagônicos me indicam que esse dia ainda está longe.

Aliás, trabalhos que contradizem outros nessa área aparecem todo dia. (Vou começar a fazer uma lista e postar aqui depois...)

Portanto, vou comendo do que gosto e pronto. Se eu tivesse me privado de comer ovo, chocolate e tomar café por anos e visse essa reportagem hoje, ficaria muito, mas muito nervoso. E isso seria certamente mais prejudicial a minha saúde.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Fotos de um Raro Eclipse Anular do Sol...

Eclipse solar já é naturalmente um evento raro. E esta semana o hemisfério norte pode assitir um eclipse solar ainda mais raro. Ele é conhecido como Annular Solar Eclipse, ou Eclipse Anular do Sol.
O diferença para um Eclipse comum é que nesses casos a Lua está bem distante da Terra e fica parecendo menor, e desse ponto ela não consegue cobrir inteiramente o Sol. A imagem que se vê da Terra portanto é de um disco negro com uma coroa de fogo em volta.
Como não vimos esse por aqui fui procurar saber quando será o próximo que poderemos ver de  São Paulo. Desanimador.... só em 27/05/2207!!! (Fonte: NASA Eclipse Website)
Clicando na foto abaixo vai abrir um slide show da Scientific American com 10 fotos desse evento. 

E aqui um vídeo com o efeito que o Eclipse causa na sombra de uma árvore!!!

terça-feira, 22 de maio de 2012

Como a Matemática pode ajudar a combater a Obesidade!

A matemática pode ser utilizada para tudo mesmo. Aliás eu até acho que ela é pouco utilizada. Quantas conclusões nós tomamos e vemos outras pessoas tomar sem uma análise matemática consistente. Tudo bem que o ser humano não é só movido a dados estatísticos, mas que eles ajudariam a tomar decisões melhores não há dúvida.
Essa notícia foi publicada no jornal The New Yotrk Times, divulgando o trabalho de um estatístico que estuda a correlação dos dados sociais com a obesidade da população. Achei a entrevista bem interessante com alguns pontos que contrariam o senso comum.

Segue a tradução dela inteira a seguir:
The New York Times


Carson C. Chow aplica matemática para resolver os problemas cotidianos da vida real. Como um pesquisador no National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais), ele tenta descobrir por que 1 em cada 3 americanos são obesos.Falamos com ele na recente reunião anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, onde o Dr. Chow, 49 anos, fez uma apresentação com o título "Iluminando a epidemia de obesidade com a Matemática", e depois por telefone, uma versão condensada e editada da entrevistas segue.

Você é um matemático treinado no MIT e físico. Como você chegou a trabalhar sobre a obesidade?

Em 2004, enquanto estava no corpo docente do departamento de matemática da Universidade de Pittsburgh, me casei. Minha esposa é uma oftalmologista do Johns Hopkins, e ela não podia se mudar. Então eu comecei a procurar trabalho na área de Beltway. Ouvi dizer que o NIDDK, um ramo do National Institutes of Health, estava montando seu laboratório de matemática para estudar a obesidade. Na época, eu não sabia quase nada de obesidade.Eu nem sabia o que era uma caloria. Eu rapidamente li todos os artigos científicos que eu conseguia encontrar.
Eu pude ver que os fatos sobre a epidemia eram bastante surpreendentes. Entre 1975 e 2005, o peso médio dos americanos aumentou em cerca de 20 quilos.

Desde 1970, a taxa de obesidade nacional saltou de cerca de 20 por cento para mais de 30 por cento. A questão interessante que me chamou a atenção quando fui contratado era: "Por que isso está acontecendo?"

Por que a matemática teria a resposta?

Porque para fazer isso experimentalmente levaria anos. Você pode descobrir muito mais rapidamente se você fizer as contas.

Agora, antes de minha chegada na equipe, o instituto havia contratado um fisiologista matemático, Kevin Hall. Kevin desenvolveu um modelo que podia prever como a sua composição corporal muda em resposta ao que você come. Ele criou um modelo matemático de um ser humano e, então, conectou todas as variáveis ​​- altura, peso, ingestão alimentar, exercícios. O modelo poderia prever o que uma pessoa vai pesar, dado o seu tamanho do corpo e o que ele ingeria. No entanto, o modelo era complicado: centenas de equações. Kevin e eu começamos a trabalhar em conjunto para reduzi-lo a uma equação simples. Isso é o que os matemáticos aplicados fazem. Fazemos as coisas simples. Uma vez que conseguimos isso, a equação simplificada para baixo provou ser uma plataforma útil para responder a uma série de perguntas.

Que nova informação a sua equação descobriu?
 
Que a sabedoria convencional de que é preciso ingerir menos de 3.500 calorias para perder um quilo de peso está errado. O corpo muda enquanto você perde. Curiosamente, também descobrimos que quanto mais gordo você fica, mais fácil é ganhar peso. Um extra de 10 calorias por dia coloca mais peso para uma pessoa obesa que em um mais magro. Além disso, há uma constante de tempo que é um fator importante na perda de peso. Isso porque se você reduzir sua ingestão calórica, depois de um tempo, seu corpo atinge o equilíbrio. Na verdade, leva cerca de três anos para uma pessoa chegar ao seu novo "peso padrão". Nosso modelo prevê que, se você comer 100 calorias a menos por dia, em três anos você vai, em média, perder 10 quilos - Se você não trapacear. Outra descoberta: Grandes variações na sua alimentação diária não irão causar variações de peso, desde que a sua ingestão alimentar média de um ano seja a mesma coisa. Isto é porque o corpo de uma pessoa irá responder lentamente para a ingestão de alimentos.

Alguma vez você resolveu a questão colocada para você quando você era recém contratado - o que causou a epidemia de obesidade?
Nós achamos que sim. E é algo muito simples, muito óbvio, algo que poucos querem ouvir: A epidemia foi causada pelo excesso de produção de alimentos nos Estados Unidos.A partir de 1970, houve uma mudança na política agrícola nacional. Em vez de o governo pagar aos agricultores para não se envolver em plena produção, como era a prática, eles foram incentivados a produzir alimentos, tanto quanto podiam. Ao mesmo tempo, as mudanças tecnológicas e da "revolução verde" fez nossas fazendas muito mais produtivas. O preço dos alimentos despencou, enquanto o número de calorias disponíveis para o americano médio cresceu cerca de 1.000 por dia.Bem, o que as pessoas fazem quando há comida extra por aí? Eles comê-lo! Isto, é claro, é uma ideia tremendamente controversa. No entanto, o modelo mostra que o aumento nos alimentos mais do que explica o aumento de peso.

Na década de 1950, quando eu estava crescendo, as pessoas raramente comiam fora. Hoje, os americanos jantam fora - com essas porções restaurante de grande porte e de óleo saturado alimentos - cerca de cinco vezes por semana.
Correto. A sociedade mudou muito. Com uma oferta de alimentos enorme o marketing de alimentos fica melhor e restaurantes ficaram mais baratos. O baixo custo dos alimentos impulsionou o crescimento da indústria de fast-food. Se os alimentos fossem caros, você não poderia ter fast food. As pessoas pensam que a epidemia tem de ser causada pela genética ou que a atividade física tem ido para baixo. No entanto, níveis de atividade física não mudaram nos últimos 30 anos. Quanto ao argumento de genética, sim, há pessoas que são geneticamente predisposição à obesidade, mas se eles vivem em sociedades onde não há muita comida, eles não ficam obesos. Para eles e para nós, é a oferta que é a questão. Curiosamente, vimos que os americanos estão desperdiçando comida a uma taxa progressivamente crescente. Se os americanos comessem toda a comida que está disponível, estaríamos ainda mais obesos.

Qualquer conselhos práticos a partir do seu processamento de números?

Uma das coisas que os números nos mostraram é que a mudança de peso, para cima ou para baixo, leva um tempo muito, muito longo. Todas as dietas funcionam. Mas o tempo de reação é muito lento: da ordem de um ano. As pessoas não esperam o tempo suficiente para ver como eles vão se estabilizar. Então, se você perder o peso e voltar a seus antigos hábitos alimentares, o tempo que leva para voltar a seu peso antigo é algo como três anos. Para ajudar as pessoas a entender isso melhor, postamos uma versão interativa do nosso modelo de bwsimulator.niddk.nih.gov (não encontrei o link). As pessoas podem ligar suas informações e aprender o quanto eles precisam reduzir o consumo e aumentar a sua atividade para perder peso. Ele também irá dar-lhes uma idéia aproximada de quanto tempo vai demorar para atingir a meta. Matemática aplicada em ação!

O que os americanos podem fazer para conter a epidemia de obesidade?
 
Uma coisa eu concluí, e isto é apenas uma opinião pessoal, é que devemos parar com a propaganda de alimentos para as crianças. Eu acho que a obesidade infantil é um grande problema. E quando você é obeso, não é como pudéssemos de repente cortar a comida fora e você vai voltar a não ser obeso. Você foi programado para comer mais. É uma dificuldade comer menos. A iniciativa de Michelle Obama é útil. E as taxas de obesidade na infância parecem estar se estabilizando no mundo desenvolvido, pelo menos. A epidemia de obesidade pode ter atingido o pico por causa da recessão. Faz os alimentos ficarem mais caros.

Você disse anteriormente que ninguém quer ouvir a sua mensagem. Por quê?
Eu acho que a indústria de alimentos não quer saber disso. E as pessoas comuns particularmente não querem ouvir sobre isso. É muito fácil para alguém sair e comer 6.000 calorias por dia. Não há mágica nisso.

Você simplesmente tem que cortar calorias e ser vigilante para o resto de sua vida.





segunda-feira, 14 de maio de 2012

A Partícula de Deus: Documentário da Globo News

Raramente vejo um documentário sobre ciência tão bem feito como esse da Globo News sobre o bóson de Higgs. Muito bem editado, com entrevistas muito boas com pesquisadores do Fermilab, o laboratório de física avançada de Ilinois. Esse laboratório era onde está instalado o Tevatron, que era o mais moderno colisor de partículas até que o LHC europeu entrasse em operação!

Eu acho que como programa de divulgação científica esse acertou o ponto. Nem muito raso e nem muito impossível de entender. Além de que eles encontraram uma astrofísica brasileira, Daniele Alves, que dá um show!

20 minutos sem comercial! Vale apena!


segunda-feira, 7 de maio de 2012

O Aquecimento Global sendo Questionado!

Tem alguns assuntos que atingem tal nível de consenso que dificilmente são questionados. O Aquecimento Global é um desses assuntos. Qualquer um que questiona o aquecimento global é considerado ignorante sem chance para defesa. A grnade maioria dos cientista do mundo considera isso assunto fechado e a questão agora é como reverter ou reduzir o processo!

Aliás, esse mês a Scientific American Brasil publicou uma entrevista com o cientista que descobriu o gráfico em formato de taco de hóquei que representa a elevação da temperatura nos últimos 100 anos.

Mesmo sendo assunto fechado, as vezes a gente ainda encontra alguns cientistas que discordam de que o aquecimento global realmente exista e, se existe, que ele estaja sendo causado pelo ser humano. A novidade aqui é que nunca tinha ouvido uma posição desse tipo de um cientista brasileiro.

Semana passada o Jô Soares entrevistou o Professor de Climatologia da USP, Ricardo Augusto Felício. Ele defende exatamente essa tese e tem alguns bons argumentos para isso. Segue o vídeo da entrevista que vale a pena ser vista. Pelo menos acho que a deveríamos refazer as mesmas perguntas, quem sabe não teríamos respostas diferentes!


Eu não sou um especialista na área. Mas algumas questões que ele levantou eu também concordo e ainda acrescento outras:

1 - Por mais que as metodologias de medição de temperatura tenham evoluído, não consigo imaginar quantos pontos de medição seriam necessários, espalhados pelo planeta, para realmente termos uma base de dados estatísticamente significativa. Só assim poderíamos afirmar que a temperatura do planeta está subindo na média!

2 - Nós vivemos em um planeta com uma massa imensa, onde a atmosfera é somente uma fina camada desse conjunto. Conforme o filme "Uma Verdade Incoveniente", a atmosfera seria somente a camada de tinta de uma bola de futebol. Como pode uma camada tão fina impactar no aumento da temperatura do planeta todo?

3 - Compare a massa da Terra com a do Sol, que é nossa fonte de energia! Parece impossível que algo que façamos aqui consiga influenciar mais do que o próprio Sol. Segue um link do post sobre isso!

4 - Por fim, a humanidade vive inventando um potenciais Fins de Mundo que no final se mostra um erro. Não acho impossível que esse seja mais um caso!

Será?.....

domingo, 6 de maio de 2012

O Dilúvio e os Fósseis

Me passaram um link sobre uma aula de história chamada "A Origem dos Fósseis" de uma Escola Adventista de Várzea Grande - MT. Na primeira vez que vi me pareceu fake, mas não é, está publicado no próprio site dela. Para se ter uma ideia do que está sendo ensinado lá, segue somente uma foto do quadro que achei emblemática. Tem outras fotos e detalhes dessa aula no link.

Pela aula eles simularam a formação de um fóssil utilizando argila. É algo válido para se entender o básico como as impressões na rocha foram feitas. O problema é utilizar essa aula para confirmar a existência no dilúvio!!!

É sempre aquele mesmo discurso. Religiosos tentando utilizar conceitos científicos para "provar" que suas crenças estão certas. É como se todas as religiões precisassem dessa confirmação científica para poderem existir em paz. Esse esforço todo que é incoerente e traz a desinformação para a sociedade!!

Nada contra em ensinar conceitos religiosos para quem se matriculou numa escola adventista, católica, ou de qualquer outra religião. É o que se espera de uma escola religiosa. Todas elas tem aulas de ensino religioso! E é nessa aula que deveriam ser ensinados esses conceitos.

Agora aulas de história, química, física, matemática, etc... são baseadas em ciência, e nunca deveriam dividir o mesmo quadro com conceitos religiosos como a foto acima. O objetivo principal de uma escola é passar o conhecimento científico reconhecido. Se além disso as escolas religiosas também querem passar conceitos religiosos, acho normal, mas isso tem que ser bem separado. Mas o que está parecendo é que as escolas agora estão tentando "cientificar" a religião, e para isso usam dados científicos e distorcem para encaixar na teoria deles.

Tem até um vídeo de produção adventista sobre criacionismo que desafia a lógica!!! Parece que não foi só eu que achou estranho, olha como estava a contagem do vídeo hoje.

Enfim, o vídeo abaixo é feito por um paleontólogo da USP que também viu esse link e explica com muito mais detalhes como os fósseis são feitos. O vídeo é bem interessante e mostra exemplos de fósseis encontrados no nosso território!!!

Mas antes eu queria fazer duas observações:
1 - Ele faz menção a um vídeo dessa aula da escola adventista que eu não encontrei, portanto não posso compartilhar do comentário dele de que o professor estava mesmo ensinando como fazer fósseis com argila. (Quero acreditar que ele estava somente representando como são feitas as impressões na rocha.)

2  - O vídeo dá a entender que ele se posiciona contra qualquer tipo de ensinamento religioso. Eu já acho isso aceitável. É praticamente impossível criar os seus filhos com conceitos diferentes do que você acredita. Então é natural que pais adventistas coloquem seus filhos em escolas adventistas e tenham ensinamentos religiosos compatíveis com a sua religião. O que acho muito ruim, e já comentei no início do post, é quando uma entidade religiosa tenta comprovar seus conceitos usando a a ciência.
Em resumo acho totalmente aceitável a seguinte frase: "Sou um religioso e acredito no criacionismo."
Já acho totalmente inaceitável o complemento: "E cada vez mais a ciência está comprovando a veracidade do criacionismo em detrimento do evolucionismo."


A melhor  frase foi: "Não entendo como é que fóssil de peixe se formaria no Dilúvio!"

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Dilema do Prisioneiro...na TV!

Se você já leu alguma coisa sobre Teoria dos Jogos já deve ter tido contato com o problema chamado "Dilema do Prisioneiro". E encontrei um vídeo de um programa de TV que utilizou desse problema para definir o ganhador de uma soma de dinheiro.

No problema tradicional duas pessoas (A e B) acusadas de um assalto são presas e colocadas em salas diferentes, e sem contato. Para a pessoa A, em separado, o policial sugere que acuse o seu amigo (B). Se ele fizer isso ele pode sair livre e o amigo dele pega 7 anos de cadeia. Mas se o amigo dele fizer a mesma coisa, acusar A pelo crime então os dois irão para a cadeia por 3 anos.

O que o policial não conta é que se niguém acusar niguém, ambos sairiam livres da acusação por falta de provas. Mas como eles estão separados e não sabem como o outro está agindo, a tendencia é que os dois acabem se acusando do crime, com medo de pegar 7 anos sozinho.

A Teoria dos Jogos explica como é o raciocínio implícito nesta situação e extrapola para outras situações cotidianas.

Na TV a situação é parecida. Os dois concorrentes devem partilhar um pote de dinheiro de $13.600. Eles devem escolher entre "dividir"(split) ou "roubar"(steal). Se os dois escolherem "dividir" cada um fica com a metade do dinheiro. Se uma pessoa escolher "dividir" e a outra escolher "roubar", este último fica com todo o dinheiro. Mas se os dois escolherem "roubar", ambos perdem tudo.

A diferença do jogo teórico é que eles podem conversar e combinar estratégia. Ao contrário dos prisioneiros que estavam em salas separadas. E isso provocou uma estratégia de um dos participantes que me deixou impressionado!!!


Para quem não conseguiu entender o vídeo por conta do inglês, segue um resumo abaixo:
O rapaz de marrom disse para o outro que ele iria colocar "roubar" de qualquer jeito, porque se ele colocasse "dividir" poderia perder o dinheiro todo. Então a proposta dele era de que o adversário dele escolhesse dividir, para ele poder ganhar o dinheiro todo e depois do programa ele se comprometeria a dividir  com ele a metade do dinheiro.

O stress se instalou, lógico!

O apresentador deixou bem claro que a única garantia de ambos sairem com o dinheiro era os dois escolhendo dividir.

Apesar de tudo o rapaz de marrom continuou dizendo que iria colocar "roubar" e se comprometia a devolver metade do dinheiro após o programa. E resistiu a todos os argumentos, até sermão de ética teve que ouvir...

Dessa forma, a única opção do rapaz de azul era colocar dividir, porque senão ambos perderiam o dinheiro e dando para o rapaz de marrom, pelo menos ainda haveria uma chance dele cumprir com o prometido.

Quando o apresentador manda abrir as escolhas, ambas foram a de "dividir". Ou seja, o dinheiro foi dividido ali mesmo dentro do programa.

Toda a estratégia de dizer que iria colocar roubar de qualquer maneira era para garantir que a escolha "dividir" fosse a escolha menos pior para o seu parceiro. Dessa forma ele teve certeza de que o parceiro colocaria "dividir" e ele também poderia escolher a mesma coisa, sem risco de ver todo o dinheiro ir embora.

Muito bom!! Esse cara deve ser especialista em Teoria dos Jogos e nem sabe!

Fonte: Ben Goldacre - Secundary Blog

terça-feira, 1 de maio de 2012

Ilusão de Ótica: Desequilibrando uma Balança

Como desequilibrar uma balança usando apenas riscos paralelos....


Por isso que eu sempre digo: Não basta ver para crer.

Fonte: New Scientist