domingo, 30 de setembro de 2012

Eleições 2012 - Qual é o seu Representante?

É de se esperar que os integrantes da Câmara de Vereadores de qualquer cidade seja uma representação da sociedade que lhes elegeu. Sendo assim é normal que nesse grupo de eleitos tenha um percentual de representantes de uma certa crença, de uma certa raça, torcedores de um certo time, e etc.
 
O que acho estranho, e não concordo, é com candidatos tentando serem eleitos simplesmente porque são reprentantes de um certo grupo, sem mostrar nenhuma proposta de trabalho para quando forem eleitos. É só assistir o horário político que é facil identificar uma grande quantidade de candidatos se apresentando com a frase: "Sou representante da religião....." ou "Sou representantes da raça...." ou "Sou representante da torcida....."
 
Acho isso errado porque, mesmo sabendo que uma porcentagem desses grupos será eleito, não deveria ser por esse simples motivo. Porque se o único motivo do cidadão votar numa pessoa é porque ele é representante de um grupo em que ele se enquadra, então porque ele mesmo, ou qualquer outra pessoa desse grupo, não se cadidata?
 
Outro ponto é essa representação depois que o candidato é eleito. Ele é eleito para legislar pela cidade e não somente para um grupo. Se ele foi eleito sem nenhuma proposta de trabalho, só para ser representante de um grupo, o que ele fará depois de eleito? Leis que favoreçam o seu grupo de eleitores em detrimento aos outros grupos? Que tipo de estado vamos ter se isso virar regra?
 
E isso se torna um ciclo vicioso. O velho paradigma do ovo e da galinha. Existem tantos candidatos assim porque o povo vota neles, ou o povo vota neles por que eles são muitos e diluem o foco para os candidatos com propostas sérias para a cidade?
 
Na prática, isso acontece mesmo porque a nossa sociedade em geral ainda não entende o quanto é importante eleger um representante legislativo. Não se tem idéia clara do quanto um desses candidatos eleitos pode mudar a nossa vida para melhor ou para pior. E em geral, por conta dos próprios processos lentos da democracia, fica difícil mesmo para um eleitor entender uma relação de causa e efeito para alguma lei que venha a ser publicada 06 a 12 meses depois da posse.
 
Deveríamos escolher nossos representantes na Câmara que tenham proposta que considerássemos corretas para a nossa cidade e para a melhorar a convivência em sociedade. O time para o qual o candidato torce, a religião que ele frequenta, a cor da sua pele, não deveria ser relevante para que ele fosse eleito.
 
Mas para isso não tem remédio nem decreto que resolva. A única forma da sociedade desenvolver esse senso de responsabilidade é votando.  Só espero que dê tempo para aprender antes que seja tarde demais....

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Vidente mostra a mágica por trás da mágica!

O vídeo abaixo é bem interessante. Ele mostra uma experiência feita com alguns moradores de Bruxelas - Bélgica. Perguntaram se eles aceitariam serem entrevistados por um vidente. Alguns aceitaram e as imagens mostram como o vidente estava acertando tudo sobre a vida deles. Em alguns casos até mesmo o saldo bancário ele conseguia dizer.
 
Depois o próprio vídeo mostra como ele consegue ser um vidente tão bom!!!
 
 
 
Tentei entrar no site que eles indicam no final mas está em francês. De qualquer maneira serve de alerta para todos nós.

domingo, 23 de setembro de 2012

Livro: Os Números (não) Mentem

Terminei de ler um livro bem interessante sobre como os números podem ser usados de forma a enganar o cidadão em geral. Um dos casos que ele comenta é quando as pessoas  utilizam um número qualquer em uma frase para dar um peso de veracidade. Como no caso onde o governo americano dizia ter conhecimento  de 252 funcionários do governo ligados ao comunismo. Esse número é tão exato que parece que alguém relamente contou. Depois ao longo da história esse número mudou várias vezes, mostrando que ninguem sabia ao certo quantos comunistas eram, e na verdade  se questiona hoje se realmente  existia algum.
 
Como o autor é jornalista, ele passa uma boa parte  do livro comentando sobre as estatíticas das eleições americanas, principalmente a eleição que o Bush tinha ganho contra o Al Gore. Essa parte eu até acho que demorou demais considerando o título do livro e a proposta que ele vende.
 
Mas é um livro que vale o investimento porque ele traz uma série de casos onde se pode alterar o agrupamento dos dados para se ter o resultado desejado. Isto é, com um conjunto de dados verdadeiros, dependendo do agrupamento deles a conclusão pode ser diferente. É sempre bom saber que isso pode acontecer, para quando nos vierem vendendo estatíticas de um produto,ou de qualquer outra coisa, termos a consciência de fazer as perguntas necessárias para se chegar a verdade.
 
Dados do livro:
Autor: Charles Seife
Editora: Zahar

Troca de Bikes mais rápida do Mundo

Quanto tempo você acha que é necessário para trocar de bicicleta?
 
 
 

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Imóvel na Planta: Porque não Comprar


O risco de se comprar imóvel na planta sempre foram conhecidos, mas estavam associados a possibilidade de não entrega por motivos de falência das construtoras. Um outro risco que todos conheciam é a de não ter todas as aprovações da prefeitura. Por isso deveríamos pesquisar e investigar se todas as documentações já teriam sido emitidas, liberando a construção. 

O caso que vou relatar demonstra bem como tudo pode dar errado!! Em São Paulo no ano de 2007 foi lançado para venda na planta de um condomínio chamado Domínio Marajoara. Estava sendo vendido pela Cyrela e seria construído pela Queiroz Galvão, que dispensa apresentações quando se fala de obras de engenharia. Duas empresas sólidas que dificilmente quebrariam e não entregariam o imóvel. Obviamente essa "fama" no mercado vinha acompanhado de preço, que devia estar imbutido e foi absorvido pelos compradores em troca do risco baixo que essas empresas representam.

Na data do lançamento, tudo estava perfeito quanto as aprovações legais. Alvará de construção da prefeitura e todos os documentos estavam em ordem. O imóvel estava totalmente regular. O que já era de se esperar de empresas desse porte.

No entanto, em 2008, 1 ano e meio depois de iniciada as obras, o Ministério Público entrou na justiça embargando a obra. Eles estavam questionando as aprovações dadas pela prefeitura, e com isso estavam proibindo a construção e solicitando a demolição de tudo que já havia sido construído. A obra chegou a ser embargada por 3 meses e depois um outro juiz liberou a continuidade da obra até que a causa seja julgada definitivamente.

Mas agora, o condomínio que estava regular no momento da compra, de repente ficou ilegal e teria que haver um julgamento para decidir se iriam demolir tudo ou não.

Agora em 2012, 5 anos depois da compra, e vários R$ investidos por parte de todos os compradores. A obra está totalmente pronta e o que falta? O Habite-se. O documento final da prefeitura que possibilitaria a comercialização dos imóveis. Eles não querem emitir o documento porque o julgamento final daquela primeira ação do Ministério Público não acabou definitivamente. A justiça tinha dado ganho de causa para que o empreendimento fosse aprovado, mas como foram dois votos a um, o Ministério Público entrou com o recurso, e a previsão de julgamento desse recurso é só para meio do ano que vem.

O que chama a atenção nesse caso:

1 - Pelo visto não há prazo limite para o Ministério Público questionar uma obra que estava totalmente regular. Se eles podem solicitar demolição de uma obra que estava aprovada pela prefeitura e cuja construção já havia sido iniciada há um ano em meio, então eles também podem questionar o prédio que você mora hoje que já está quitado e no seu nome!!!! Não tem limite isso?

2 - Se existiu algo de errado nas aprovações, e parece que existiu mesmo, o julgamento deve ser feito e os responsáveis punidos. Mas não tem sentido mandar demolir toda obra por conta disso, porque assim quem está sendo punido é quem comprou um imóvel regular. Essa ação é comparável a querer desmontar os veículos de uma montadora porque se descobriu, tempos depois, que uma das suas licenças não deveria ter sido emitida por um órgão oficial do governo!!!

3 - Esse risco legal, inerente da nossa legislação, para mim é uma informação nova. Por isso considero que não dá pra ter segurança nenhuma em comprar um imóvel na planta. É como se a aprovação da prefeitura de nada valesse, e o Ministério Público tivesse poderes infinitos de um sistema ditatorial.

4 - Imóvel na Planta, mesmo que você confirme que ele está regular, ele pode deixar de ser no futuro e você ficar sem seu dinheiro. Acaba que o risco das empresas não entregar é ridiculamente pequeno se comparado a esse risco legal!!!
Para quem quiser saber onde isso pode chegar, segue uma matéria que saiu no programa Manhã Maior da RedeTV sobre esse assunto.
 



Também teve uma reportagem no Jornal da Bandeirantes.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Um Carro Elétrico Realmente Competitivo

Um programa de TV americana testou o Tesla Model S, um carro elétrico que consegue fazer 380 Km com uma só carga na bateria. O vídeo abaixo mostra toda a experiência, de Los angeles até Las Vegas.
 
 
 
Como eu torço para que se consiga realmente comercializar carros assim. Essa autonomia é mais do que suficiente para transitar em cidades, mas com muito menos poluição e barulho.
 
Aliás, imaginem se a primeira tecnologia desenvolvida para os veículos fosse a elétrica. E depois que todos estivéssemos acostumados com ela nos seus veículos, fosse desenvolvido o motor a gasolina, com muito mais autonomia.
Será que o público em geral iria preferir a "novidade" do motor a gasolina? Mesmo considerando toda o barulho e a fumaça que ele traria junto? Será que a cultura do motor barulhento ainda existiria?
 

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Foto da Curiosity em Marte

O Satélite High Resolution Science Experiment (HiRiSe) da NASA, que orbita o planeta Marte, tirou uma foto da Curiosity dando os seus "primeiros passos" no planeta vermelho.
 
 
 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Pesquisa Eleitoral: Dá pra Confiar?

Foto: TSE
 
Tem candidato na TV gritando que pesquisa não serve para nada e que é impossível que 1000 pessoas entrevistadas possam representar toda uma população de 20 milhões... e ele aproveita e rasga a pesquisa na TV!!! Obviamente este candidato não tem conhecimento nenhum de estatística, nem o básico 1!!! Ou se tem só quer criar um fato na TV!!!
 
A estatística é uma ciência antiga que teve suas fórmulas bem definidas desde a época de Pascal, Fermat e Gauss. Não dá para negar que ela é uma ciência exata. Mas porque as vezes ela erra os resultados das eleições?
 
Bem, existem dois tipos de erros que podem causar a falha de uma pesquisa.
 
O primeiro é o Erro Estatítico natural implícito de que uma amostra não pode representar o todo. Esse erro é reduzido com o aumento da amostra. Por exemplo, se você entrevistar somente uma pessoa e perguntar em qual candidato ele vai votar, a resposta dele será 100% da sua amostra e você não poderá dizer que toda a população vai votar nesse mesmo candidato. O erro estatítico dessa amostra é enorme!!!
Esse erro vai diminuindo com o aumento da amostra, e com 1000 entrevistados esse erro cai para 3,1%, e é a quantidade da amostra que geralmente se utiliza em pesquisa de opinião em época de eleição.
 
Mas existe um erro muito mais escondido que não representa valor numérico. É conhecido como Erro Sistemático. Esse erro é produzido durante a coleta da amostra, onde os critérios de seleção não conseguem garantir uma amostra homogênea. Para esse tipo de erro não é possível apresentar uma valor numérico, e também ninguém espera que esse erro exista, tanto que ele nem é comentado. Mas também não dá para questionar a metodologia dos institutos de pesquisa, se alguém deve saber como selecionar uma amostra são eles.
 
Um exemplo desse erro é tentar definir qual é a maior torcida de São Paulo e começar a entrevistar pessoas. Só que por algum motivo o entrevistador só aborda pessoas com roupas verdes. A porcentagens de palmeirense vai aumentar muito mais do que o real. E se ele entrevistar 1000 pessoas, o Erro Estatístico ainda vai ser de 3,1%. Mas mesmo com esse erro baixo ela está totalmente errada!!!
 
E tem uma fator muito, muito mais importante do que tudo isso, e que praticamente deixa as pesquisas pré eleitorais no patamar de simples curiosidade, o "Ser Humano"!!!
 
Diferente de uma peça escolhida aleatoriamente de uma  produção, o Ser Humano é ativo no processo eleitoral e ele pode mudar de ideia do dia para noite. Ele também pode sacanear a entrevista dizendo que vai votar em um candidato e no dia votar num outro. Já pensou se a partir de hoje, só de sacanagem, todo mundo que fosse entrevistado respondesse que estaria votando no último colocado da pesquisa anterior. Novamente essa pesquisa teria uma margem de erro pequena mas estaria totalmente errada no seu resultado final!!! E ia ter candidato passando uma semana feliz....hehe!
 
Enfim, vejam as pesquisas, leiam sobre elas e comentem com seus amigos. Mas nunca considere os resultados de uma pesquisa para determinar em quem você vai votar!!! Nenhuma pesquisa tem, ou deveria ter, esse poder!!!