sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Livro de Adolf Hitler proibido no Rio de Janeiro

Fonte: G1
Esta semana o Tribunal de Justiça do Rio de janeiro proibiu a venda do livro Mein Kampf de Adolf Hitler. Este foi o livro escrito pelo líder nazista em 1924 e foi a base para o nazismo que dominou a Alemanha anos depois. 

Acho impressionante como nós humanos atribuímos poderes a alguns livros escolhidos! Praticamente todas as sociedades possuem livros sagrados, com os quais "não se devem brincar", e outros livros proibidos cuja a presença na estante pode gerar mal estar nas pessoas.

No caso desse livro específico, o próprio governo da Baviera que detinha os direitos autorais nunca permitiu sua publicação desde a morte de Adolf Hitler em 1945. Eles também tinham essa restrição por algum motivo!!! Essa discussão só está voltando a tona porque os direitos se tornaram públicos e com isso qualquer um pode publicar a obra sem precisar mais de autorização.

Realmente é um livro importante que passa conceitos ultrapassados, mas é certo proibir a sua venda e publicação? 

Aliás, é certo proibir a venda de qualquer tipo de livro?

A única resposta possível para essa pergunta é NÃO!!!

Ao considerar a possibilidade de proibir alguns livros, obrigatoriamente vem junto a necessidade de definir alguém para decidir quais livros serão autorizados. E naturalmente essa pessoa, ou grupo, teria um poder demasiado em cima de outros, cujas ideias não poderiam ser divulgadas!! 

Isso é censura pura e simples, e é um golpe importante na democracia!! Se você pode proibir um único livro, porque não pode proibir dois? Três? .....

A única resposta possível em uma democracia é NÃO proibir nenhum! E se o autor estiver infringindo alguma lei, divulgando ideias racistas por exemplo, ele pode e deve ser julgado e punido pela justiça. O autor é responsável pelo que assina sempre.

Mas e nesse caso onde o autor já é morto? Só restou a sua obra onde ele compila suas idéias! Não deveria ter tanto peso além do significado histórico! 

Não deveria também ser da competência de ninguém decidir se o livro vai ou não gerar mais racismo do que já existe. como se fosse possível determinar os desdobramentos complexos de toda uma sociedade com uma decisão simples.

Num passado não muito distante existiu uma sociedade que não deixava seus cidadão lerem livros que contrariavam as ideias dominantes na época. Sabe qual foi? Os Alemães Nazistas!!!

A diferença é que eles queimavam!

Fonte: DW.com