terça-feira, 28 de outubro de 2014

A Estatística Dividindo um País

Já falei outras vezes aqui e agora acho que é um bom momento para repetir. A estatística é um ramo tinhoso da Matemática! 

Em praticamente todos os trabalhos científicas da área de humanas vem acompanhada de alguma análise estatística dos resultados. Essa análise estatística é o que possibilita utilizar dados obtidos de uma fonte não exata e atribuir uma "equação", da mesma forma que é utilizada nas ciências exatas.

A característica não exata dessa forma de fazer ciência fica evidente quando outra pessoa utiliza os mesmos dados e chega a conclusões diferentes, simplesmente porque tratou os dados de outra forma, com outro tipo de inferências e aproximações. 

Um exemplo claro e evidente disso foram as nossas eleições de segundo turno para Presidente do Brasil. Praticamente todo o Brasil soube do resultado ao mesmo tempo, as 20:00 h. O mapa do Brasil que estava publicado na UOL mostrava quem ganhou a eleição em cada estado.

Fonte: UOL

Não bastou 30 minutos para sair nas redes sociais que o ideal seria dividir o país, já que o Norte e o Nordeste claramente mostra sua preferencia ao PT e o Sul e Sudeste mostra sua preferência ao PSDB. O tom dos comentários então é melhor nem citar....

A UOL, até com um certo senso de justiça, dividiu o mapa em 4 cores diferentes. E isso ainda deu uma sensação de divisão do país mesmo. 

Mas um dia depois o historiador econômico Thomas Conti publicou um outro mapa, utilizando os mesmos dados, mas dessa vez com as cores variando de intensidade de acordo com o percentual de votação para um lado ou para o outro. O mapa resultante está abaixo. 

Fonte: Terra

Este mapa já deixa uma sensação bem menor de dissociação entre os estados,certo. Na verdade somos uma grande mistura de cores ao longo do país!!!

Mais interessante é que ambos estão corretos!! A única diferença é a forma como os dados foram agrupados, que podem levar a conclusões totalmente diferentes. 

No final só fica o alerta. Não somente para as eleições. Mas sempre que tomarem conhecimento de conclusões baseados em porcentagem para assuntos de ciências humanas, vale a pena pesquisar melhor como os dados estão agrupados!

Se com dados  de porcentagem, que é o básico do básico, já é possível encontrar esse efeito, imaginem com técnicas mais avançadas de estatística!!!