quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Tatuagens Científicas

Uma amiga minha é professora de química e fez uma tatuagem de um átomo de carbono! Muito legal!
Depois de uma rápida pesquisa eu encontrei várias outras pessoas que também fizeram tatuagens científicas. Criei uma página no Pinterest com várias fotos dessas tatuagens. Olhem algumas abaixo.








Tem mais nesse site: Doodle Dawdle e uma pesquisa no google como scientific tattoo encontra ainda mais. Existe até um livro publicado sobre o tema!

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Livro: 50 Ideias sobre Física Quântica



Me surpreendi com esse livro!

Em geral quando se escreve sobre física quântica o assunto vai só até a dualidade onda-partícula, princípio da incerteza e orbitais eletrônicos do átomo. Nesse livro todos esses assuntos padrões já estavam tratados no capítulo 22. Desse ponto até o final o assunto é aprofundado e tópicos que não são comuns de se encontrar em revistas científicas são abordados.

Teoria do campo unificado, Modelo padrão, Teoria dos Muitos Mundos, fermions, leptons, bárions, etc. Obviamente não é possível aprofundar muito num livro como esse mas já dá para ter uma ideias sobre as frentes de pesquisas existentes na física quântica hoje. 

Em todos os capítulos existe uma breve biografia de um cientista que contribuiu para o assunto em questão e o livro também é recheado de citações desses cientistas. 

Outra coisa que dá para perceber nesse livro é como é fácil a física quântica ser utilizada como pseudociência nas mais diversas áreas. Como a Física Quântica não é algo intuitivo como a Física Clássica, fica difícil para uma pessoa que não é da área rebater ideias criativas sobre esse tema. Basta digitar "quântica" no google e você vai ver o quanto as pessoas gostam de usar essa palavra para dar uma ideia de "cientificamente avançado", mesmo que seja a maior balela do universo. 

Mas esse livro acerta em se ater exclusivamente ao que existe de científico nessa área. E só isso já é fantástico o suficiente para nos deixar maravilhados!

____________________

Link para comprar na Amazon

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Livro: A Dupla Hélice

Esse livro conta como foi a descoberta da estrutura do DNA, pelo ponto de vista de James D. Watson, um dos cientistas responsáveis pelo trabalho e ganhador do Prêmio Nobel por isso.

É escrito de uma forma bem informal, o que certamente pode ter deixado algumas pessoas citadas ofendidas. Ele não economiza em rotular alguns dos personagens que fizeram parte da sua vida nesse período. Algo que eu até achei desnecessário. Ele poderia contar a mesma história sem o tom de deboche para com alguns de seus colegas. 

Em contrapartida o livro é bom para desmitificar aquela imagem do cientista do cinema, com laboratórios de alta tecnologia e milionários. O cientista real vive de bolsa de estudos, que frequentemente precisa de revalidação, dorme em quarto emprestado, come mal e fica tentando se aproximar das garotas (sem sucesso). 

Ok, esse cientista "real" também é muito caricato, hoje em dia obviamente não é mais assim. Talvez não para todos, pelo menos. 

Um ponto interessante é a disputa que eles travaram com Linus Pauling na descoberta da estrutura do DNA. Todos os avanços de Pauling eram acompanhados pelos artigos que eram publicados e por carta. Ou seja, existia ciência antes do e-mail!!! Essa disputa com Linus Pauling eu já tinha lido de forma reduzida no Livro A Colher que Desaparece. Fica a dica para quem quiser ver um outro ponto de vista.


Para quem tiver interesse segue o link da Amazon.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Livro: A Colher que Desaparece

Na boa, esse título é muito ruim!!! Mas o livro é bem interessante!! 

É um livro de divulgação científica, que como tantos outros faz uma série de relatos de como a ciência foi se desenvolvendo ao longo dos anos em diversas áreas. O diferencial desse livro é que ele utiliza a tabela periódica dos elementos como base para esses relatos.

Ao passar pelos elementos da tabela, o autor vai descrevendo como foi a descoberta dele e os benefícios que essas descoberta trouxe para a sociedade. A tabela periódica dos elementos é a base de tudo no universo e por isso a busca dos cientistas dos elementos acabou impactando em todas as áreas da ciência, não só na química. 

E como não deveria ser diferentes, o livro aborda bastante a biografia dos cientistas que ajudaram a completar a tabela periódica. Incluindo casos de mulheres cientistas como Marie Curie, que tiveram que superar o preconceito na época para desenvolver ciência de ponta. Marie Curie, por exemplo, foi a única laureada Nobel em Química e Física da história. 

Outros casos chamam atenção como a perseguição dos cientistas pelos nazista e como eles fizeram para sair da Alemanha nesse período para não deixarem de trabalhar. Mas a Alemanha ainda conseguiu manter alguns nomes de peso trabalhando com eles, o que acabou gerando uma corrida contra os Estados Unidos para desenvolver primeiro a fissão nuclear. O resultado, infelizmente, todos nós já sabemos. Infelizmente não pelo desenvolvimento da técnica, mas do uso que se fez dela!

O que mais chama a tenção nesse livro é que o desenvolvimento cientifico depende muito das personalidades certas envolvidas num ambiente certo. Quando essa condição é atendida o progresso é visível. Por isso que países desenvolvidos tentam o máximo possível manter os melhores cientistas trabalhando em seu território, não importando de onde eles vieram. 

Novamente parafraseando a fissão nuclear... depois de uma certa massa crítica formada o desenvolvimento científico se acelera. 

Segue link da Saraiva para o e-book.
No Submarino tem o livro físico.
Versão para Kindle na Amazon.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Livro: O Sinal e o Ruído

Quantas vezes você precisa tomar uma decisão, ou fazer uma previsão, baseada nos dados existentes, mas você não imagina o quão corretos estão esses dados. O autor chama isso de ruído que compromete o sinal, e te faz tomar decisões incorretas.

Hoje existem várias metodologias estatísticas que são utilizada para previsão de quase tudo na nossa vida. Bolsa de Valores, clima, resultados de jogos, eleições, etc... No entanto sabemos que estas previsões, por mais desenvolvidas que estejam, muitas vezes não conseguem se confirmar. Isso é porque os dados utilizados estão mal levantados ou o método não considerou as suas limitações? 

É sobre isso que o autor escreve nesse livro. Utilizando exemplos de metodologias utilizadas para previsão e decisão e o quanto elas estão acertando, ele discute como podemos utilizar melhor os dados.

Ele não fica dando sugestões de como resolver os problemas que ele aponta. Mas o livro acaba sendo uma importante ferramenta para o pensamento crítico. Se você souber como as previsões são feitas vai entender melhor quando ouvir no noticiário que um determinado candidato tem mais chances de ganhar uma eleição. E vai ficar mais antenado sobre as condições em que estas previsões são tomadas e os possíveis erros do método utilizado. 

Em resumo o que percebi é que o autor nos passa o seguinte recado: Não acredite em nada antes de confirmar você mesmo os cálculos. As vezes até os melhores cientistas podem estar utilizando dados de maneira errada e passando informações incorretas sem querer. Seres humanos erram. Isso é um fato. E não quer dizer que haja má fé. 

O capítulo sobre mudanças climáticas eu recomendo principalmente. Primeiro porque é um assunto mundial, diferente da maior parte do livro onde os exemplos utilizados são bastante vinculados a cultura norte americana. E esse assunto gera polêmica até no café da empresa e esse livro só coloca lenha na fogueira....

Segue o link para o livro e para o e-book.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Livro: Os Botões de Napoleão

Você certamente já ouviu de alguém que um determinado produto não era bom de se comer porque ele tinha "muita química"!!! Certamente estavam se referindo a agrotóxicos e conservantes que são aplicados aos alimentos para que os mesmo consigam chegar até a mesa do consumidor final. 

Mas você já parou para pensar como seria a nossa sociedade se não fosse a tal "química"? Não ia precisar muito tempo para entender que simplesmente não haveria sociedade moderna. Não existiria sem refrigeração, alimentos duráveis, analgésicos, plásticos, e etc. Produtos que são normais para nós hoje em dia, mas que só puderam ser criados com o desenvolvimento da química.

Esse livro conta um pouco dessa história da humanidade, focando em pontos onde a sociedade precisava de uma solução para algum problema, e que foi encontrado com a química. Os autores se basearam em 17 moléculas para contar essa história. Um químico certamente irá achar esse número muito pequeno, mas para um livro de divulgação científica eu acho que conseguiram o objetivo.

Apesar de usar bastante linguagem química, incluindo descrições de reações, o livro não é difícil de ler. Muitas pessoas tem aversão quando houve o palavra "química". Talvez por isso que essa palavra não aparece no título!!! Mas para não deixar o livro com muita resistência inicial, o autor começa com uma espécie de tutorial para que pessoas que não são da área possam entender sem muitas dificuldades. 

O texto não é difícil, mas também não é tecnicamente fraco. O autor se aprofunda no contexto histórico, acompanhando depois das propriedades das moléculas e algumas vezes das reações químicas necessárias para sua formação. Ou seja, apesar de não ser necessário ser da área, os químicos vão apreciar bem mais porque os assuntos são tratados com uma complexidade que lhes é habitual. 

Se interessar, segue link da Saraiva e do Submarino

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Aplicativos vs Legislação: Whatsapp

Semana passada foi a segunda vez que a justiça suspendeu o aplicativo Whatsapp.

A primeira sensação minha, e de quase a totalidade da sociedade, foi de que isso é um absurdo e que o juiz não poderia ter tomado essa decisão. Agora, uma semana depois do ocorrido e tendo lido mais sobre o assunto, concluo que essa decisão do juiz realmente é um absurdo. Mas não é o único, e nem o mais grave, absurdo na história!!!

A justiça está determinando que sejam entregues dados de conversas praticadas entre quadrilhas que estão sendo investigadas. E o Facebook, dono do Whatsapp, simplesmente fala que não entrega porque ele não os têm, já que as conversas são criptografadas. Mas já é uma posição antiga deles de defender a privacidade do usuário, porque na suspensão anterior o motivo foi o mesmo e naquele momento os dados não estavam criptografados. Ou seja, a privacidade do usuário é o valor principal da empresa e ela não negocia isso.

Essa atitude no entanto dá um sinal claro a todos os malfeitores do mundo que o lugar mais seguro que eles podem ter para se comunicar e tramar qualquer tipo de crime é o Whatsapp. E eu não acredito que os diretores da empresa queiram passar essa certeza ao mundo. Não acredito que eles vão querer associar seu produto como sendo o mais utilizado pelo crime organizado, simplesmente porque eles protegem os dados de todos os usuários a ponto de enfrentar justiça de países!! 

Os criminosos ganharam a proteção da maior empresa do planeta agora? 

Ou seja, tem algum coisa errada aí. 

Na outra ponta está a justiça. Que determinou 3 dias de suspensão do serviço no país todo como punição ao descumprimento da solicitação dos dados. Milhões de pessoas foram prejudicadas por uma decisão do juiz. 

Não sou da área do direito mas alguns fato me chamam a atenção e geram dúvidas. Pode um juiz determinar uma punição da cabeça dele? Sem ter a punição devidamente descrita em alguma lei? Faço uma analogia a crimes comuns, onde existem cálculos de quantos anos de cadeia são determinados de acordo com o crime cometido. Isso tudo está determinado legalmente. Não é o juiz que "escolhe" qual pena dar de acordo com a cabeça dele.

Mas pelo visto não é isso que aconteceu nesse caso. Existe por acaso alguma Lei que determine suspensão do serviço em 3 dias em casos de descumprimento de determinação judicial? Porque se não existe nada escrito e mesmo assim ele pode dar 3 dias, o que o impede de dar outros tipos de punição que lhe venham a mente no futuro. Se essa já foi absurda, imagina o que pode vir se não tiver limites. Ainda mais considerando a forma de pensar diferenciada entre todos os juízes que existem no Brasil.

Mas a justiça não pode mesmo ficar sem ferramentas de investigação nenhuma. Comparativamente podemos pensar nas linhas telefônicas individuais, que são protegidas no seu direito de sigilo, mas que este sigilo pode ser quebrado pela justiça em uma investigação e as ligações passam a ser gravadas naquela linha. A recente Operação Lava-Jato da Polícia Federal rendeu diversas gravações desse tipo que se tornaram públicas. Se todos aqueles que estavam sendo gravados tivessem utilizado o Whatsapp a Polícia Federal não teria nada com que trabalhar. 

A Polícia e a Justiça não podem ficar sem condições de investigar crimes só porque uma organização privada decidiu que não quer se responsabilizar pela forma como usam seu produto.

Como resolver esse impasse então? É errado a justiça suspender o serviço no país todo mas também é errado criar uma ferramenta que seja imune a investigação criminal.

Aí que eu acho que deveriam entrar os nossos legisladores eleitos! Deveria existir uma lei que garantisse o direito de que ferramentas de comunicação não possam ser suspensas no país. Isso é totalmente autoritário e não condiz com um país democrático. Hoje foi o whatsapp, amanhã pode ser o email!!

Também deveria haver uma lei que determinassem que todos os aplicativos que quisessem operar no país mantivessem um servidor onde fosse possível gravar mensagens trocadas por pessoas que estivessem sendo investigadas. Que fosse feito somente com autorização judicial, como é feito com as linhas telefônicas. Mas que ficassem bem claro também as punições possíveis para as empresas que descumprirem essa lei.  

Naturalmente a tecnologia avança mais rápido do que a nossa capacidade de legislar. Sempre vamos estar atrasados. Mas se não houver nada acontecendo para regular essa atividade rapidamente, em poucos anos são os aplicativos que vão determinar quais leis eles querem atender ou não!!! E isso é o maior absurdo de todos!!!

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Livro: O Poder do Pensamento Matemático

A matemática está em toda parte. Talvez você não perceba mas ela está lá. E como seria se você pudesse identificar o quanto da sua vida depende dela?

É mais ou menos esse o sentimento que tive ao ler esse livro. O autor, Jordan Ellenberg, começa abrindo seus horizontes da presença da matemática na sociedade, depois se aprofunda em alguns pontos gerais.

Dois pontos que me chamaram mais a atenção foram os capítulos sobre Linearidade e sobre Inferência. 

Quanto a Linearidade ele discute o quanto é natural para nós pensarmos em uma reta ao resolver uma situação entre 2 pontos. Mas na verdade, na grande maioria das vezes, a solução do problema não é uma reta mas uma curva. Assim a melhor solução não é de um lado ou do outro, mas um ponto entre estes dois extremos.

Sobre a Inferência ele comenta sobre a importância de se fazer um teste de significância antes de tirar conclusões científicas. Esse teste consegue dizer se o efeito encontrado é realmente relevante e não causado por um evento aleatório. Mas isso não é tão simples, várias condições  devem ser levadas em conta. Adorei esse capítulo e acho  que ele deveria ser obrigatório no ensino de ciência para todos. A falta de critério ao divulgar resultado é o que faz os cientistas se contradizerem tanto quanto aos benefícios ou malefícios dos alimentos.

Também discute bastante o quanto é difícil para um governante público utilizar dados estatíticos de ocorrências de doenças na população para tomar alguma decisão de proibir um determinado produto. Quase sempre ele não terá todos os dados e terá que tomar uma decisão mesmo assim.

Em várias partes ele entra um pouco mais do detalhe algébrico ou estatísticos das situações. Para quem gosta disso, como eu, vai poder entender o detalhe de como as conclusões matemáticas foram obtidas.

No final eu concordo muito quando ele diz que mais gente que não é matemático deveria estudar matemática. Um pensamento matemático desenvolvido é util em todas as profissões, e na minha opinião, muito mais útil também para o desenvolvimento da sociedade. 


Link da Saraiva - Livro / E-book

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Livro de Adolf Hitler proibido no Rio de Janeiro

Fonte: G1
Esta semana o Tribunal de Justiça do Rio de janeiro proibiu a venda do livro Mein Kampf de Adolf Hitler. Este foi o livro escrito pelo líder nazista em 1924 e foi a base para o nazismo que dominou a Alemanha anos depois. 

Acho impressionante como nós humanos atribuímos poderes a alguns livros escolhidos! Praticamente todas as sociedades possuem livros sagrados, com os quais "não se devem brincar", e outros livros proibidos cuja a presença na estante pode gerar mal estar nas pessoas.

No caso desse livro específico, o próprio governo da Baviera que detinha os direitos autorais nunca permitiu sua publicação desde a morte de Adolf Hitler em 1945. Eles também tinham essa restrição por algum motivo!!! Essa discussão só está voltando a tona porque os direitos se tornaram públicos e com isso qualquer um pode publicar a obra sem precisar mais de autorização.

Realmente é um livro importante que passa conceitos ultrapassados, mas é certo proibir a sua venda e publicação? 

Aliás, é certo proibir a venda de qualquer tipo de livro?

A única resposta possível para essa pergunta é NÃO!!!

Ao considerar a possibilidade de proibir alguns livros, obrigatoriamente vem junto a necessidade de definir alguém para decidir quais livros serão autorizados. E naturalmente essa pessoa, ou grupo, teria um poder demasiado em cima de outros, cujas ideias não poderiam ser divulgadas!! 

Isso é censura pura e simples, e é um golpe importante na democracia!! Se você pode proibir um único livro, porque não pode proibir dois? Três? .....

A única resposta possível em uma democracia é NÃO proibir nenhum! E se o autor estiver infringindo alguma lei, divulgando ideias racistas por exemplo, ele pode e deve ser julgado e punido pela justiça. O autor é responsável pelo que assina sempre.

Mas e nesse caso onde o autor já é morto? Só restou a sua obra onde ele compila suas idéias! Não deveria ter tanto peso além do significado histórico! 

Não deveria também ser da competência de ninguém decidir se o livro vai ou não gerar mais racismo do que já existe. como se fosse possível determinar os desdobramentos complexos de toda uma sociedade com uma decisão simples.

Num passado não muito distante existiu uma sociedade que não deixava seus cidadão lerem livros que contrariavam as ideias dominantes na época. Sabe qual foi? Os Alemães Nazistas!!!

A diferença é que eles queimavam!

Fonte: DW.com