sábado, 16 de fevereiro de 2013

Jack Andraka: Um Novo Gênio de 15 Anos de Idade

Um garoto de 15 anos desenvolve um método de diagnosticar câncer de pâncreas de forma rápida, com custo irrisório e com praticamente 100% de precisão.
 
Seu nome é Jack Andraka, e se você quiser ver uma comemoração realmente emocionada assista ao vídeo quando ele foi declarado vencedor da Intel International Science Fair and Enginering em maio passado. Esta é uma Olimpíada Científica com mais de 1.500 inscrições de 70 países concorrentes.

 
O avanço diagnóstico de Andraka é uma simples tira de papel de filtro, mergulhada numa solução de nanotubos de carbono, que são cilindros ocos com paredes na espessura de um único átomo, revestidas com anticorpos específicos concebidos para se ligarem com o vírus ou proteínas que você está procurando. O que ele percebeu é que há mudanças perceptíveis na condutividade elétrica dos nanotubos, quando as distâncias entre eles mudam. Quando os anticorpos entram em contato com a proteína alvo na superfície dos nanotubos, as proteínas ligam-se a esse tubos e os fazem se afastarem levemente entre si. Essa mudança nos espaços entre os tubos pode ser detectado por um dispositivo de medição de condutividade elétrica.
 
Andraka utilizado um medidor de 50 dólares da Home Depot para fazer o truque, mas, diz ele, os médicos podem facilmente inserir seu teste nos dispositivos usados ​​por milhões de diabéticos em todo o mundo. Um sensor de nanotubos com um anticorpo alvo é extremamente sensível. O sensor de Andraka detecta a presença de mesotelina, uma proteína normalmente usada como um biomarcador para o câncer de pâncreas, com um limite de 0,156 ng/ml, bem abaixo dos 10 ng / mL que é a concentração de mesotelina consistente com o diagnóstico positivo da doença. Também é 100 vezes mais seletivo do que as atuais testes de diagnóstico, o que significa que praticamente não resulta em nenhum falso positivo ou falso negativos. Comparado com a técnica de 60 anos de idade, chamado enzyme-linked immunosorbent assay (ou ELISA), utilizado em tiras de teste de gravidez e contaminações virais por HIV, o teste de Andraka é 168 vezes mais rápido, 26.667 mais barato, e 400 vezes mais sensíveis. É possível detectar a presença da proteína ligada ao câncer bem antes dele se tornar invasivo. Isso poderia salvar as vidas de milhares de vítimas de câncer de pâncreas por ano. O teste custa R$ 3 (ELISA pode custar até US $ 800) e 10 testes podem ser realizados em cada tira e leva cinco minutos.

Ele pode ser utilizado também para controlar a resistência aos antibióticos e acompanhar a progressão do tratamento de doentes com câncer submetidos a quimioterapia ou a radioterapia.
 
Lendo um pouco mais sobre ele percebe-se que ele é envolvido com ciência desde pequeno e sempre teve o incentivo de seus pais. Vamos torcer para que esse seja somente o primeiro de muitas outras descobertas que virão!!!

Assistam a apresentação dele no TED Talks...
 
 
Fonte: Forbes.com