domingo, 14 de abril de 2013

Religião na Política: Errado, mas Comum!

Quantos erros você consegue achar na história abaixo:

Um pastor evangélico, com uma igreja lotada, começa a pedir dinheiro para uma benção especial. Para convencer os fiéis ele fala que existem anjos no altar que estão abençoando os que estão doando o dinheiro!!! Este mesmo pastor, em outro culto, afirma categorixamente que John Lennon foi morto como um castigo de Deus. Segundo ele, esse mesmo castigo foi aplicado aos Mamonas Assassinas.

E a igreja lotada...sempre...com todos concordando com ele!!!

Esse pastor, por algum motivo... decide se candidatar a um cargo no legislativo, e os fiéis de sua igreja votam nele, simplesmente porque ele é o "pastor"!!! Como são muito fiéis, ele é eleito com folga pelo partido que leva o termo "Cristão" no seu nome. Esse mesmo partido levou obviamente muitos outros votos de pessoas que simplesmente leram esse termo no seu nome!!!

O partido do governo federal entende que para fazer política e ter aliados é necessário dividir a gestão da máquina pública. Sendo assim ele começa a passar a gestão de ministério e outras entidade do governo para diversos partidos. Partidos mais relevantes levam um Ministério para administrar, os menos relevantes recebem Secretarias e Comissões. E quando o governo passa a gestão desses órgãos para um partido, é como se ele recebesse a senha da sala. Quem decide quem entra e quem sai agora é o partido e não o governo. O governo federal não consegue mais tirar pessoas indicadas por esses partidos, mesmo que eles sejam visivelmente incompetentes para o cargo.

Então, com essas regras estabelecidas, o governo passa a gestão da Comissão de Direitos Humanos para o tal partido Cristão. E esse partido indica o presidente dessa Comissão. Ele indica, mas na prática o que ocorre é uma votação interna para eleger o presidente. Mas como já está tudo acertado essa eleição é fake!!

Esse partido Cristão indica o Pastor que vê os anjos e odeia rock como presidente. 

A gritaria é geral, porque além de tudo, esse pastor tem diversas citações de racismo e homofobia que fazem a mera presença dele na Comissão de Direitos Humanos um piada de mal gosto, ainda pior como presidente.

Os protestos da sociedade pedem que ele saia da presidência dessa Comissão. Ele fala que só vai sair se outros políticos do partido do governo, que foram condenados pelo Mensalão, também saiam da Comissão  da Constituição e Justiça!!!

Depois dessa trucada parece que assunto esfriou. O pastor ainda saiu fortalecido porque agora ficou famoso. E na próxima eleição tenho certeza que vai levar voto de outros religiosos, mesmo de outras igrejas, porque a quantidade de pessoas que votam em pastores simplesmente porque são da igreja é enorme....

P.S.: Você já tinha contado quantos erros quando perdeu a conta?


Para quem ainda não viu, segue o vídeo dos "anjos no altar" (7:55), cheque pré datados, e outras coisas piores...