sábado, 19 de janeiro de 2013

Porque não participo de Igreja, mas sou a favor do Dízimo para elas...

As pessoas se reúnem em grupos desde o início dos tempos. Sempre existiram grupos de pessoas que se juntavam para discutir sobre algum assunto, praticar algum esporte, realizar algum negócio, etc... Na minha opinião, um igreja nada mais é do que mais um desses grupos sociais. 

O motivo porque ela não serve pra mim, é que ela é baseada puramente em crenças. Crenças de que existe um Deus onisciente, onipotente e onipresente. De que existe um livro sagrado onde foi escrito a mensagem dada diretamente por esse Deus. Crença de que esse livro e é a verdade mais absoluta que pode existir, independente de quanto tempo tenha passado ou venha a passar. Isso só para citar as crenças mais conhecidas, se for analisar rapidamente cada religião encontraremos muitas outras crenças mais específicas.

Os seres humanos possuem uma capacidade incrível de raciocinar e entender o mundo logicamente; entender as minucias de como o mundo funciona e a partir daí podem melhorar a nossa vida na prática. Essa caraterística humana nos faz tão especiais, que participar de grupos que sejam baseados simplesmente em crenças me parece um retrocesso. Na crença você não questiona, você simplesmente acredita. A fé cega é valorizada, aquele que precisar ver para crer é o que está errado.... Ou seja, você não precisa utilizar nada de raciocínio lógico para participar desse grupo. Ao contrário, é melhor você "desligar" essa funcionalidade, que você vai participar desse grupo com muito mais intensidade e será mais satisfatório.

Mas isso sou eu. Eu faço parte de uma minoria ridícula da sociedade. A grande maioria das pessoas gosta, ou acha necessário, e participa de suas igreja e tem suas crenças, mandingas, simpatias e etc...

Mas aí vem a questão do dízimo que a igreja pede. Em muitos casos esse é o motivo de conflito mesmo entre os praticantes da religião. 

Primeiro vou falar da parte que concordo sobre o assunto. Eu tenho certeza de que esse dinheiro seja necessário. Se você entende que a igreja é para você e vai participar do grupo, tenha consciência de que nada é de graça. As coisas precisam ser pagas, tanto a manutenção como as eventuais melhorias.  A estrutura da igreja, os funcionários, os materiais precisam ser financiados. E da mesma forma que qualquer outro grupo social, quem os financia são os participantes do grupo. 

Se você faz parte da turma que joga futebol todo sábado de manhã, com certeza deve contribuir levando uma cerveja, dividindo o aluguel da quadra, comprando a bola, etc... E você também quer que esse grupo melhore, que tenha uniformes novos de vez em quando, que as quadras sejam melhores e mais estruturadas. Transponha esse processo para qualquer grupo social (clube do xadrez, partido político, etc...) e você vai perceber que os participantes devem sustentar a estrutura para que o próprio grupo exista.

Agora a parte que não concordo. A questão do dízimo da igreja sempre é passada pelos seus líderes não como algo necessário para manter a estrutura, mas sim porque está escrito na Bíblia e é uma obrigação do cristão. A crença pura e simples de novo. E o dízimo sempre é solicitado de forma que você se sinta obrigado a dar, sem saber para quê, mas com a promessa de que Deus vai de devolver em dobro. Algumas igrejas até chamam o ato de dar dinheiro de "semear", contando que se você planta hoje colhe mais amanhã. E, na minha opinião, isso é mesmo muito errado!!! 

Nunca vi uma igreja que peça uma anuidade de seus integrantes pura e simplesmente para sua manutenção, e depois mostrasse suas contas aos seus integrantes dizendo para onde foi o dinheiro, quanto sobrou ou quanto faltou. Existe meios hoje em dia de se prestar contas do dinheiro arrecadado de forma a deixar menos subjetividade e dar mais confiabilidade no destino.

Em resumo, acho que se você vai participar de uma igreja, tem que participar com dinheiro também para que essa igreja possa existir. Mas a forma como esse dinheiro é pedido que é incorreta e causa frustração, até mesmo entre os crentes.

Olha como ficou o Chuck Norris quando ouviu falar do dízimo em débito automático....